das bobagens femininas
Eu sofro uma perseguição virtual. Mulheres costumam ser vingativas e sinto que sou vítima de uma. Pelos recados ofensivos, eu imagino que tal pessoa com tanta mágoa no coração tenha se sentido lesada por mim de alguma forma. Seguindo ainda esta linha de raciocínio imagino que eu tenha ficado com alguém que essa pessoa goste.

Já cogitei da tal pessoa fazer parte do meu círculo de amizade, mas na última mensagem dela ficou claro que não. Tudo que ela sabe sobre mim foi conseguido pelos meus rastros virtuais. Tal perseguição já rola há um ano, o que faz eu concluir que causei um dano enorme a alguém e claro, curiosa em saber o que foi. O que eu lamento é não ter como reparar tal dano e nem contribuir à saúde mental do ser, quem me dera poder mandar um poderoso pacotinho de Valium ou pílulas da felicidade, quem sabe assim ela me abraçaria e diria "eu te amo e nem é porque estou louca".

A vingança é algo que me comove no ser humano, pois o quanto ele se corrói até se dar por satisfeito? Quantas vezes passamos por uma situação em que não reagimos e ficamos dias a fio nos martirizando por ter ficado de boca calada e as respostas mais geniais desfilam à nossa frente?

Isso me faz lembrar das vezes que eu [e várias amigas] queria alguém arrasador a tiracolo para me acompanhar em alguma festa apenas para que ele sentisse um ponta de inveja, quando muitas vezes eu imagino que ele se sentiria aliviado ao ver que finalmente eu estava bem o suficiente para largar do pé dele. Há tempos atrás uma amiga me ligou perguntando se eu tinha algum amigo bonitão para acompanhá-la em uma festa porque alguém comentou que ela não era capaz de conquistar alguém. E para que provar? Mas vivemos querendo calar a boca das pessoas. Eu sugeri alguns amigos em comum, mas gays e o problema morava aí, pois a pessoa tinha dito justamente que ela só conseguia gays. Ela no desespero pensou em contratar um garoto de programa.

Babaquice? Insegurança? Claro, mas quem não sofre desses males de vez em quando? Quem já não passou por situação semelhante? De qualquer forma, Murphy na sua crueldade sempre nos castiga, se estamos lindas como nunca e com um Apolo a tiracolo, provavelmente ele não aparecerá.

Eu acho curioso quando numa traição o homem é a vítima. A preocupação dele [caso descubra] geralmente é se houve sexo e se o sexo foi melhor do que o que ele oferece. Aquele lance de foi sexo por sexo funciona quando a mulher é quem foi traída. Claro que isso não gera conforto, mas nos preocupamos se houve um interesse emocional, se a outra é mais bonita, se ele quer encontrá-la novamente, etc. Pensamos também em como foi o rala e rola, mas isso é o menor dos pesadelos.

Mesmo em meio a liberdade sexual [e nós mulheres mais bem resolvidas] ainda sofremos de males demasiados humanos. O homem vai continuar com o instinto de caça e gostar de ter a decisão nas mãos: eu me interesso, eu vou atrás [há exceções, mas na maioria o comportamento ainda é a moda antiga] e a mulher vai bancar a mulher maravilha mostrando-se forte, independente e não estou nem aí para você, mas no fundo também vai continuar esperando que ele ligue, que ele a convide para sair e se surpreendendo se ele puxar a cadeira para que ela se sente no restaurante e se ele pagar a conta. Gostamos de paparicos, mas raramente admitimos.

Às vezes eu sinto que o mundo se perdeu. Alguém mande o link do Google Earth para ele se encontrar?

Escrito por Desiree às 14h12
[] [envie esta mensagem]



[ ver mensagens anteriores ]