Devaneios com uma taça de vinho
Gosto muito de tomar vinho e é uma das poucas coisas que não falta na minha casa. Solta a imaginação, deixa os sentidos à flor da pele e os desejos vêm à tona. Hoje vou deixar as idéias correrem soltas sem compromisso, então não esperem por um texto coeso, pois provavelmente ele não vai rolar.

Algumas constatações:

A revista Veja fez um especial [será falta de assunto? o que anda acontecendo no planalto além do presidente estar numa cadeira de rodas?] sobre a solteironas. É, pela estatística da revista as minhas chances de me arrumar são mínimas. De acordo com outro amigo durante uma conversa hoje no msn, eu soube que o auge feminino rola entre os 32 e 35 anos, o que me deixou em pânico, já que não vai demorar muito para eu começar a minha decadência humana.

Ou seja, pela revista Veja e pela pesquisa que meu amigo andou lendo, eu só tenho um futuro nada agradável pela frente, afinal serei uma solteirona e decadente. A sorte é que eu tenho uma vidente muita mais otimista que prometeu que junto com a minha decadência, vem o homem da minha vida. Será que ele consegue também me salvar da solteirice?

Pois bem, tenho que ADMITIR [é, letras maiúsculas para ter certeza] que as coisas anda muito bem a ponto de eu achar mesmo que o melhor é não ter compromisso, afinal o tal NO utilizado no tema do blog tem sido quase que nulo, já que esta pessoa que escreve anda na fase da quase bonança e digamos, bonança qualitativa. É, porque ainda temos um problema dois a lidar: ter pessoas compartilhando sua intimidade não quer dizer que a sua satisfação esteja garantida, afinal os moçoilos andam afoitos demais e pouco atentos ao prazer alheio. Pronto, falei!

Escrito por Desiree às 10h32
[] [envie esta mensagem]



[ ver mensagens anteriores ]