as donas maricotas
A maioria de nós é vulnerável a fofoca. Eu ando vítima dela e o pior, os próprios amigos falando pelos cotovelos enquanto engolem suas cervejas geladas. Acho curioso como todo mundo sabe quem é melhor para você, menos você é capaz de enxergar isso. E às vezes erramos mesmo em nossas escolhas, mas eu nunca me importei muito com isso, afinal não dá para acertar sempre.

Você está saindo com alguém que não tem a simpatia dos seus amigos. Não está nem apaixonada e muito menos fazendo planos a longo prazo. Até se assusta, já que muitas vezes se pega planejando coisas com alguém que acabou de conhecer. Gosta dele, que costuma ser gentil, engraçado, não muitas afinidades intelectuais, mas uma paixão em comum, o que faz ter longas conversas deliciosas que você não tem há anos. Ele é carinhoso, gosta de sair, é gostoso, tem um beijo bom e na cama as coisas rolam muito bem.

Os seus amigos acham que ele não é adequado, talvez porque seja gay ou mesmo porque, no mundinho deles a sua atual companhia é “baiano”. Preconceito? Óbvio. Mas não a surpreende, já que vive cercada de alguns. E não liga, porque ao contrário deles, neste quesito não é mesmo preconceituosa.

Seus amigos até discutem a vida sexual dele, como se o conhecessem e fossem íntimos. Bisbilhotam o orkut dele, afirma até histórias que desconhecem. Enfim, enchem seu saco com tanta especulação.

Bissexualidade é algo que nunca foi um motivo para você perder o interesse por alguém, já que gay no seu mundinho é alguém que fica somente com alguém do mesmo sexo. Se fica com o sexo oposto e “comparece”, é bissexual. Isso não a preocupa, mas aí você se pergunta o porquê das pessoas gostarem tanto de cuidar da vida alheia. Será que é falta de emoção na própria vida?

***

Feliz 2007! E agora eu volto...

Escrito por Desiree às 17h40
[] [envie esta mensagem]



[ ver mensagens anteriores ]